Esporte News

Conselho Fiscal prevê que Vitória deve fechar o ano com rombo de R$ 12 milhões

Após a derrota no BaVi, o Vitória se complicou na luta contra o rebaixamento e voltou a figurar dentro do Z4. Mas se engana quem pensa que esse é o único problema que o Leão precisa encarar atualmente, já que de acordo com o relatório de transparência do primeiro semestre deste ano, divulgado pelo Conselho Fiscal, a vida financeira do clube é preocupante.

De acordo com informações do documento, os conselheiros do clube apontam que no primeiro semestre de 2017, houve um desrespeito na ordem de mais de R$ 10 milhões. O teto estabelecido para gastos com salários, foi extrapolado em pouco mais de R$ 5 milhões, além do departamento de futebol que ultrapassou R$ 1,89 milhão do orçamento.


Ainda de acordo com o ofício que foi enviado pelo presidente do Conselho Fiscal, Walter Tannus, ao presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino Gordilho Filho, o presidente Ivã de Almeida, atualmente licenciado do cargo, solicitou o adiantamento de cerca de R$ 42 mil, porém, restituiu cerca de R$ 33 mil, até a data do documento, 02/08/2017.

O Conselho Fiscal ainda projeta um déficit no valor de R$ 12 milhões, no orçamento de 2017, já que o orçamento inicial foi de R$ 78 milhões, mas os gastos do clube até o fim da temporada devem chegar a R$ 90 milhões. Mesmo diante desse cenário, o Conselho Diretor do Vitória ainda não solicitou suplementação extra ao Conselho Deliberativo do clube.