Esporte News

Vitória confirma Mancini para técnico e Cléber Giglio como diretor

O Vitória anunciou na noite desta terça-feira a contratação de Vagner Mancini como substituto de Alexandre Gallo, demitido na semana passada após comandar o time em 11 rodadas do Campeonato Brasileiro. É a quarta passagem do treinador pela Toca do Leão. Antes, ele havia trabalhado no Rubro-Negro em 2008, 2009 e entre 2015 e 2016.


O clube baiano também comunicou o acerto com Cléber Giglio para o cargo de diretor de futebol. Ele entra na vaga deixada por Petkovic, que assumiu o departamento em junho, mas não resistiu a crise instalada na Toca do Leão e foi demitido na última segunda-feira. Giglio trabalhou no Figueirense entre 2012 e 2016. Antes de fechar com Giglio, o Vitória sondou Paulo Pelaipe.

Vágner Mancini
Mancini é a aposta da diretoria rubro-negra para tentar salvar a equipe do rebaixamento para a Série B. Com 12 pontos em 16 partidas disputadas, o Vitória ocupa a 19ª colocação da tabela de classificação.

A primeira passagem do técnico pelo Vitória foi em 2008. Em substituição a Vadão, ele conquistou o título baiano e teve um bom início de Brasileiro. O treinador chegou até a falar em conquistar vaga na Libertadores, mas o time caiu de rendimento na segunda metade da competição.

Durante o Campeonato Baiano de 2009, Mancini aceitou uma proposta do Santos e mudou de clube. No mesmo ano, foi demitido da equipe paulista - após uma derrota por 6 a 2 para o Vitória - e pouco tempo depois retornou à Toca do Leão para substituir Paulo César Carpegiani.

Em 2015, aceitou o convite para voltar ao Vitória. Substituiu Claudinei Oliveira durante a Série B e conquistou o acesso no fim da temporada. De contrato renovado, ajudou a montar a equipe que conquistou o estadual de 2016, mas não resistiu ao desempenho ruim no Campeonato Brasileiro e foi substituído por Argel Fucks.

No início da atual temporada, Mancini foi contratado pela Chapecoense, que reestruturava o departamento de futebol após a tragédia aérea que vitimou a maior parte do elenco. O treinador se manteve no cargo até o início do mês, quando foi demitido e criticou a diretoria catarinense.

- Pela manhã, vesti o uniforme e fui com os atletas para o treinamento na academia. Quando retornei, recebi a informação que estava demitido. Faltou respeito da diretoria por me fazer ir ao treino já demitido - afirmou.
Mancini é o quarto técnico do Vitória do ano. Antes dele, o time rubro-negro foi comandado por Argel Fucks, Dejan Petkovic e Alexandre Gallo. Wesley Carvalho e Flávio Tanajura também atuaram na função de forma interina.

Cléber Giglio

Cléber Giglio foi contratado pelo Figueirense em 2012 para coordenar as categorias de base e se envolveu em polêmica no clube catarinense. Empresário de atletas, ele deixou a atividade para poder se dedicar integralmente ao cargo de dirigente. No entanto, no site da Fifa, as credenciais do cartola seguiram registradas como "agente de jogadores" até 2014, quando assumiu o cargo de superintendente de esportes, o que incluia todo o departamento de futebol do Figueira.


O dirigente permaneceu como homem forte do futebol do Figueirense até o fim do ano passado. Giglio não resistiu ao momento ruim do time, que na época estava prestes a cair de divisão.

GE