Esporte News

Bahia perde do Flamengo e entra no Z-4

Últimos cinco jogos: um empate e quatro derrotas. Momento terrível que coloca o Bahia na zona de rebaixamento pela primeira vez neste Brasileirão.

Mas, no caso da noite deste domingo, 25, na Fonte Nova, é preciso analisar o contexto. A boba expulsão de Lucas Fonseca aos 30 minutos do primeiro tempo deixou a equipe com um a menos durante mais da metade da partida. Mesmo assim, o Tricolor atuou de forma digna e criou as melhores chances de gol. De nada adiantou. Na sua única jogada de grande perigo, o Flamengo definiu o triunfo por 1 a 0 e fez a alegria da torcida que lotou o setor de visitantes. O Rubro-Negro subiu para o terceiro lugar com o resultado.

Pressionado por estar na 17ª colocação, o Esquadrão terá uma semana para se preparar para o Ba-Vi de domingo, às 16h, no Barradão, com os rivais na zona da degola. O volante Renê Júnior retorna de suspensão e será reforço.

O Bahia dos primeiros minutos neste domingo lembrou os melhores momentos do time na temporada. A marcação por pressão que tanto incomodou Vitória e Sport nos jogos finais do Nordestão, e o Atlético-PR na avassaladora estreia do Brasileiro, voltou a ser colocada em prática.

E de forma bastante eficiente, principalmente por conta do ímpeto do meia-atacante Zé Rafael, que terminou a etapa inicial com incríveis cinco desarmes. Num desses, aos nove minutos, roubou bola de Willian Arão e levou perigo em chute de fora.

Mais tarde, aos 21, desarmou o zagueiro Rafael Vaz dentro da área ofensiva, mas errou na hora de colocar Edigar Junio em condição de marcar. Allione, na marca do pênalti, era melhor opção.

O Flamengo chegava muito pouco. Aos 12 minutos, Allione errou passe e Diego tocou para Guerrero finalizar. Jean não teve dificuldade para defender.

Ou seja, a partida transcorria com cenário favorável ao Tricolor até que, aos 30 minutos, veio a reviravolta. Lucas Fonseca, que estava se envolvendo em confusões desde o começo do embate e já havia levado cartão amarelo por reclamação, engalfinhou-se com Guerrero. O lance, constrangedor, teve ainda uma simulação do zagueiro tricolor, que acabou expulso pelo segundo amarelo. O peruano do Fla também foi advertido.

Com um a menos, Jorginho teve de trocar o meia Vinicius pelo zagueiro Rodrigo Becão e o Bahia não pôde mais fazer a marcação alta. Mesmo assim, continuou ameaçando mais. Quase abriu o placar em dois contra-ataques. Zé Rafael, aos 36, e Allione, aos 44, pararam no goleiro Thiago.

Como a velocidade parecia a melhor solução para o Esquadrão se impor mesmo em inferioridade numérica, o técnico Jorginho resolveu trocar Edigar Junio pelo colombiano ‘Speed’ Mendoza já no início do segundo tempo.

E  o Bahia continuou se aproximando mais da meta adversária do que o rival. Teve uma grande chance inaugurar o marcador aos 11 minutos, em cobrança de falta à beira da área. Juninho, em má fase técnica, desta vez quase acertou o pé. Buscou o ângulo em conclusão colocada, mas arrancou apenas suspiros da galera.

Aos 20, foi a vez de Mendoza mandar de muito longe uma bomba de pé canhoto. O goleiro Thiago tentou segurar, mas deixou a bola escapar. Ela foi caprichosa ao cobrir a trave.

Sorte que tornou a sorrir para o Fla oito minutos depois, agora no ataque. Na única jogada realmente perigosa do Urubu em toda a partida, o estreante Éverton Ribeiro chutou torto e a bola sobrou limpa para Berrío bater cruzado e decretar o castigo ao Tricolor.