Esporte News

Brasil defende vantagem no histórico de confrontos contra a Argentina

O Brasil enfrenta a Argentina nesta quinta-feira em mais um jogo da rica história de um dos principais clássicos da história do futebol. Apesar de ficar por muito tempo atrás da seleção alviceleste, a equipe canarinho leva atualmente uma boa vantagem no histórico de confrontos do duelo, que ocorre há mais de cem anos.

De acordo com os números da CBF, já que a AFA e FIFA adotam critérios diferentes para contabilizar os confrontos, o Brasil tem uma vantagem de três partidas, com 39 vitórias, 22 empates e 36 derrotas em um total de 101 jogos disputados.

A história do clássico teve início no distante ano de 1914. Em amistoso disputado no dia 20 de setembro, no Estádio Club de Gimnasia y Esgrima (GEBA), em Buenos Aires, o Brasil, que tinha como um de seus principais nomes o atacante Arthur Friedenreich, não teve chances diante da forte Seleção Argentina e foi derrotado pelo placar de 3 a 0. Os tentos da Alviceleste foram marcados por Aquiles Molfino e Carlos Izaguirre (duas vezes).

De lá para cá, o Brasil amargou um longo período atrás dos argentinos no histórico de confortos. No entanto, a equipe canarinho conseguia levar vantagem em alguns aspectos, como no duelo em Copas do Mundo, dominados pelos brasileiros até hoje, com duas vitórias, um empate e apenas uma derrota. Dos dois triunfos, o conquistado no Mundial de 1982 foi o que teve um resultado mais convincente. Com grande atuação e gols de Zico, Serginho Chulapa e Júnior, a Seleção venceu por 3 a 1, em dia que Diego Maradona acabou expulso de campo.

A incômoda desvantagem no histórico de confrontos teve encerramento no dia 28 de julho de 2000, no jogo 85 entre as equipes. Após amargar 86 anos de espera, a Seleção recebeu a Argentina no Morumbi, em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa de 2002, e finalmente passou na frente. O time canarinho comandado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo contava com diversas estrelas como Rivaldo, Ronaldinho e Roberto Carlos. No entanto, quem roubou a cena foi o volante Vampeta, que marcou dois gols, com Alex completando o placar, e comandou a vitória do Brasil por 3 a 1.

Os confrontos pelas Eliminatórias para a Copa, inclusive, contam com vantagem brasileira. Antes do compromisso desta quinta-feira, sete partidas já foram disputadas entre as equipes pelo torneio que antecede o Mundial, com três vitórias do Brasil, dois empates e duas derrotas, sendo todos os triunfos conquistados pelo placar de 3 a 1.

A última partida entre as equipes ocorreu no ano passado, também pelas Eliminatórias da Copa. Na ocasião, no dia 13 de novembro de 2015, o Brasil visitou a Argentina no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, e arrancou um empate em 1 a 1, com Lavezzi marcando o gol da Alviceleste e Lucas Lima empatando para a equipe canarinho.

Aliás, a Seleção Brasileira não sabe o que é perder para a Argentina pelas Eliminatórias desde 2005, quando caiu por 3 a 1 em Buenos Aires, em um jogo que valia pouco para o Brasil, virtualmente classificado para o Mundial de 2006, que seria disputado na Alemanha. Após isso, foram mais três encontros válidos pelas Eliminatórias com uma vitória brasileira e dois empates.

Nesta quinta-feira, às 21h45(de Brasília), o Brasil recebe a Argentina, no Mineirão, no jogo 102 do clássico sul-americano, válido pela 11ª rodada das Eliminatórias da Copa. Líder da tabela, a equipe canarinho tem a oportunidade de ampliar sua vantagem no histórico de confrontos e ainda complicar a vida dos argentinos, que se encontram na sexta posição e atualmente fora da zona de classificação para o Mundial.

Gazeta Esportiva