Esporte News

Bahia venceu o Brasil de Pelotas e entra no G-4

A corrida pelo acesso continua intensa. Nesta sexta-feira (14), o Bahia venceu o Brasil de Pelotas por 1x0 na Fonte Nova e voltou ao G4 da Série B. O tricolor está em 3º e, para continuar entre os quatro, seca três adversários hoje: o Avaí, que enfrenta o Tupi, o Náutico, que encara o Ceará, e o Londrina, que pega a Luverdense. Todos jogam em casa. Se dois desses times não vencerem, o Bahia segue no G4.  


Quem esperava um jogo fácil, se enganou. O primeiro tempo foi de muita correria, sustos, chances perdidas e gol. O primeiro a ameaçar foi o Bahia, com Hernane - vaiado por parte da torcida antes mesmo da bola rolar, pelo jejum de cinco jogos sem marcar - que, cara a cara com o gol, calculou mal o tempo da bola e deu um chute no ar. Perdeu uma boa chance de tirar esse peso das costas.

Era lá e cá. O jogo estava tão movimentado que nem a turma do “senta aê” podia ficar parada na arquibancada. 

De um lado, o Brasil de Pelotas arriscava com Galiardo, Jonatas Belusso e Diogo Oliveira, assustando a torcida tricolor. Do outro, o Bahia revidava com Edigar Junio, que perdeu duas boas chances de gol, e Hernane, que caiu dentro da área, levou cartão amarelo e está fora do jogo contra o Oeste, no próximo sábado, em Barueri-SP.

O que é um pontinho amarelo no meio do campo? No caso do jogo de ontem, a resposta é simples: um ingresso para o G4. O pontinho em questão era Wesley Natã que, no segundo jogo pelo Bahia, marcou seu segundo gol - também deixou o dele na goleada por 4x0 contra o Tupi.

O novo Diabo Loiro abriu o placar aos 31 minutos. Após cobrança de falta, o goleiro Martini deu um soco na bola e ela caiu bem na cabeça do atacante de 21 anos que teve o trabalho apenas de desviar para o gol vazio a sua frente. 

A euforia de quem foi à Fonte Nova só aumentou. Após o gol, o tricolor chegou com perigo em jogadas de Juninho e Renato Cajá, mas os dois não contaram com a sorte. 

No segundo tempo, mais adrenalina. Aos dois minutos, Luiz Antonio arriscou de fora da área e acertou a trave. Superior em campo, o Bahia ainda chegou com perigo com Renato Cajá, que não estava inspirado nas finalizações.

Mas o jogo estava sob controle. Sem força, o Brasil pouco atacou no segundo tempo. Aos 30, Diogo Oliveira finalizou fraco, nos braços de Muriel. No fim do jogo, Hernane recebeu de Régis e tentou deixar o dele, mas Martini defendeu. Victor Rangel também parou nas mãos do goleiro. Não fez falta. O Bahia chegou a 49 pontos e segue como melhor mandante da Série B, agora com 12 triunfos e dois empates em 16 jogos disputados.

Correio24