Esporte News

Justiça bloqueia parte da venda de Gabigol

Dos R$ 64,8 milhões que o Santos irá receber da Inter de Milão pela venda de Gabriel, pouco mais de R$ 1,1 milhão do negócio não chegará aos cofres da Vila Belmiro. Uma decisão judicial proferida nesta quarta-feira irá bloquear essa parte do montante pago pelos italianos assim que o dinheiro chegar ao Brasil, por causa de uma dívida do clube com a Kirin Soccer.



A empresa intermediou a venda de Montillo para o Shandong Luneng, da China, em 2014. Por conta da negociação, a companhia deveria receber 400 mil euros (R$ 1,3 milhão na época), mas só recebeu 100 mil euros (cerca de R$ 320 mil). A decisão foi tomada pelo juiz Frederico dos Santos Messias, da 4ª Vara Cível de Santos.

Além disso, a Fifa também será comunicada. Isso porque, se a ordem judicial não for cumprida, a entidade terá de proibir o Peixe de fazer novas contratações. Porém, o Alvinegro Praiano pretende recorrer da decisão.

E os problemas não param por ai. O grupo de investimento maltês Doyen Sports ainda requerem os 20% a que tem direito por contrato desse montante que o Santos receberá à vista dos italianos. Porém, como os dirigentes santistas não reconhecem a compra da Doyen, feita pouco antes de Odílio Rodrigues repassar o cargo à Modesto Roma Júnior, o valor deverá ser depositado em juízo até que a Justiça tome a decisão final.

Gazeta