Esporte News

Bahia perde na Fonte Nova para o São Paulo na volta do Brasileiro Série A

A Copa do Mundo fez bem ao São Paulo. O time de Muricy Ramalho aproveitou o recesso do Brasileirão para fazer boas contratações, entrosar seus jogadores e fortalecer a disciplina tática, inspirado talvez nas grandes seleções que empolgaram a torcida brasileira no Mundial.

Embalado pelo jogo ofensivo visto no Brasil, o São Paulo não aliviou contra o Bahia nesta quarta-feira e venceu por 2 a 0 na Arena Fonte Nova, estádio marcado por belas goleadas na Copa.

Ainda sem Kaká, o time pôde contar com a boa estreia de Alan Kardec, que marcou o segundo gol da partida. Ao lado de Ademilson e Ganso, o atacante protagonizou os melhores momentos da equipe, que valorizou a posse de bola e mostrou um futebol ofensivo, assim como fizeram Alemanha e Holanda no mesmo estádio, há poucas semanas.

Com o triunfo, o time paulista fez uma demonstração de força e encostou no líder Cruzeiro na tabela. Tem os mesmos 19 pontos do rival mineiro, mas ocupa o segundo lugar por ter menos vitórias. O Cruzeiro, contudo, poderá abrir vantagem mais uma vez se superar o Vitória, nesta quinta-feira, na sequência da 10ª rodada, a primeira após o recesso da Copa.

Mesmo com o revés, o Bahia sustentou a 16ª colocação, fora da zona de rebaixamento. Ainda com oito pontos, tem apenas um a mais que os quatro times dentro da zona da degola - Figueirense, Vitória, Coritiba e Flamengo, nesta ordem.

Um dos times que mais se reforçou durante o recesso da Copa, o São Paulo mostrou poder de fogo contra o modesto time do Bahia desde os primeiros minutos da partida. Sem fazer muito esforço, envolveu rapidamente o rival no meio-campo. Fechou a defesa e partiu para o ataque.

E, com Kardec, Ademilson e Osvaldo no setor, além de Ganso e Maicon, que subiam para surpreender a defesa rival, o time não teve dificuldade para dar sustos no Bahia. Aos 11 minutos, Ademilson invadiu a área e sofreu falta de Titi. O árbitro marcou o pênalti e Rogério Ceni bateu no canto para abrir o placar no minuto seguinte.

O gol deu confiança ao time de Muricy Ramalho para manter a mesma postura ofensiva. Com boas trocas de passe no meio-campo, valorizava a posse de bola e esperava o melhor momento para atacar. Completamente envolvido, o Bahia mal reagia. E, aos 19, viu Ademilson criar boa jogada pela direita, que contou com rápida tabela entre Souza e Ganso e culminou no chute de Kardec dentro da área: 2 a 0.

Com boa vantagem antes dos 20 minutos de jogo, o São Paulo dominava com tranquilidade e exibia até 67% de posse de bola. Ao Bahia restava tentativas em contra-ataque e lances de bola parada. Na melhor chance, Wilson Pittoni bateu falta com categoria e exigiu boa defesa de Rogério Ceni, aos 35.

Em grande ritmo, o São Paulo ainda teve boa chance de ampliar o placar antes do intervalo. Em uma subida inesperada, o volante Maicon tabelou na direita e, dentro da área, bateu com perigo, aos 45. Na sequência, Antonio Carlos subiu de cabeça, após escanteio, e acertou a rede pelo lado de fora.

O intervalo para o segundo tempo não esfriou o ímpeto são-paulino. Logo aos 3, Ganso bateu da marca do pênalti e exigiu grande defesa de Douglas Pires. Osvaldo, que vinha tentando de longe desde o começo da partida, acertou belo chute no pé da trave, aos 16. No rebote, Rodrigo Caio mandou para o gol, mas o árbitro anulou o lance ao assinalar equivocado impedimento.

Sem diminuir o ritmo no ataque, o São Paulo cedeu espaços na defesa e o Bahia passou a levar perigo em contra-ataque. Aos 18, Willian Barbio disparou pela direita e acionou Rhayner livre dentro da área. O atacante bateu fraco e desperdiçou chance incrível. Em seguida, o mesmo Rhayner bateu falta na área e Titi cabeceou para as redes. O juiz marcou impedimento.

Depois do susto, o São Paulo retomou o controle da partida, mas frequentava menos o ataque. Principalmente após a saída de Kardec, com dores na coxa. Pato entrou em seu lugar, sem levar o mesmo perigo na defesa local. Nos minutos finais, os visitantes se contentaram com o placar e apenas administraram o jogo até o apito final.

No final de semana, pela 11.ª rodada, o Bahia vai tentar se recuperar diante do Atlético Mineiro, sábado, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, O São Paulo aparece como favorito diante da Chapecoense, também sábado, no Morumbi.

Ficha técnica

Bahia - Douglas Pires; Diego Macedo, Demerson, Titi, Guilherme Santos; Fahel, Wilson Pittoni (Emanuel Biancucchi), Léo Gago; Henrique (Jeam), Maxi Biancucchi (Wiliam Barbio) e Rhayner. Técnico: Marquinhos Santos.

São Paulo - Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon (Denilson) e Paulo Henrique Ganso; Alan Kardec (Pato), Ademilson e Osvaldo (Boschilia). Técnico: Muricy Ramalho.

Gols - Rogério Ceni (pênalti), aos 12, e Alan Kardec, aos 19 minutos do primeiro tempo.

Cartões Amarelos - Titi, Fahel, Léo Gago e Guilherme Santos (Bahia). Osvaldo, Alvaro Pereira, Rodrigo Caio, Antonio Carlos (São Paulo)

Árbitro - Dewson Fernando Freitas da Silva (PA).
Renda - R$ 567.697,00
Público - 17.482 pagantes

Tribuna da Bahia