Esporte News

Alexi Portela diz que pode existir um complô fora de campo Governo e PT para beneficiar o Bahia

O clima pré-BAVI da decisão do Baianão 2014 esquentou de vez nesta quarta-feira (9). Em entrevista ao site Galáticos, o presidente do Conselho Fiscal do Vitória, Alexi Portela, disparou críticas contra o Bahia, o Governo do Estado e o Partido dos Trabalhadores (PT).

Segundo o ex-presidente do Rubro-negro, pode existir um complô fora de campo para beneficiar o Tricolor no Estado. "Não podemos mais voltar ao tempo que o Bahia ganhava título fora de campo e ficava por isso mesmo. Antes do primeiro BAVI, eles colocaram nota contra a arbitragem, agora vem com essa questão dos ingressos. Estou preocupado com essa ingerência que o Governo e o PT estão perante o Bahia hoje. E é possível que o Governador nem saiba disso. Quem bancou a campanha do presidente do Bahia foram eles (PT e Governo), mas isso não aparece na transparência do Bahia. O presidente (Schimidt) ocupava uma secretaria de Estado que acabou quando ele assumiu o Bahia. São muitos privilégios que tem o Bahia hoje com o Governo lá. Tem muitas coisas acontecendo fora de campo e não podemos aceitar. Teve hoje reunião a portas fechadas do secretário de segurança com o Bahia e só soubemos através do Bocão News. Porque não chamou o Vitória, que é o mandante do jogo? O responsável pela segurança domingo é a Secretaria de Segurança Pública, tudo que acontecer lá será de responsabilidade dela. E digo mesmo ao torcedor do Vitória que não aceite torcedor do Bahia na área reservada para o Vitória. Se tiver torcedor do Bahia tem que ser retirado de lá sim. Nós apoiamos isso e não vamos aceitar torcedor do Bahia na nossa área. Essa reunião era para ter nossa presença, mas eles marcaram só com o Bahia. Já estamos avisando que não aceitaremos, de forma alguma, torcedor do Bahia na área do Vitória. Tudo isso está acontecendo por que o Vitória não aceitou jogar a final na Arena, tenho certeza disso".

O dirigente também criticou a proposta do presidente do Esquadrão, Fernando Schimidt, de dividir as torcidas em 60% e 40% nos clássicos. "Não existe isso. Se o Bahia quer mudar isso, que vá mudar o regulamento e o estatuto do torcedor. A divisão está dentro da lei, no estatuto. Chegou a um ponto que um coronel da Polícia me disse que Schimidt ficaria muito preocupado dessa forma. E eu com isso que Schimidt ficaria preocupado? Isso é para você ver como está caminhado nosso futebol fora de campo com essa ingerência do Governo e do PT no Bahia. Se você fizer um levantamento de quanto o Bahia ganhou em 2013 de renda líquida vai ficar assustado. Todo mundo se assusta. Foram mais de R$ 3 milhões líquido. Quem pagou essa conta?".

Portela também criticou a liberação do estádio de Pituaçu para um treinamento do Bahia na próxima sexta-feira (11), quando o Vitória não teve liberação nem na Arena Fonte Nova nem em Pituaçu quando jogou como visitante. "Quando não éramos mandantes, pedimos para treinar em Pituaçu e não deixaram. Hoje, eles liberaram o Bahia para treinar em Pituaçu. O futebol baiano está uma palhaçada, uma piada da forma que está aí. Até para jogar em Pituaçu tivemos que ter autorização da Arena, uma empresa privada. E o Vitória não vai jogar na Arena, o Vitória tem casa, o Barradão. Não adianta querer forçar o Vitória a ir para a Arena, porque não vamos. Temos que tomar muito cuidado. Tudo com o Vitória é uma dificuldade. Estou ligado e não vou abandonar o presidente Falcão nisso. E a torcida do Vitória não pode abandonar também".

Apesar da opinião polêmica, Alexi não deixou de reconhecer a superioridade do rival no BAVI do último domingo, mas alfinetou o tricolor. "Isso tudo que estou falando não tira os méritos do Bahia, que foi muito superior ao Vitória em campo. Só estou alertando nosso torcedor e mostrando que não vou aceitar influência externa. Sei que eles estão ansiosos, fazendo festa já, por que em quase 15 anos ganharam só um título. Imagine um garoto de 14 anos ter comemorado só um título. Mas, interferência fora de campo não aceitarei e se for o caso nem vamos a campo".

O ex-presidente do Leão concluiu ao garantir que confia na capacidade dos jogadores do clube de reverterem a vantagem e conquistarem o título baiano no domingo. "Acredito que podemos sim. Só comigo já aconteceu duas vezes. Em 2006 na Série C e no Baiano de 2008. Mas, é claro que o Vitória tem que jogar muito mais do que jogou. Não tenho dúvidas de que o Vitória tem totais condições de reverter o quadro que está aí hoje. Eu como ex-presidente, que conheço quase todos os jogadores que estão aí, que foram da minha época, tinha que está presente e dar essa força junto com o presidente", encerrou.

Galaticos Online