Esporte News

Festa abre a Fonte Nova após tragédia

De novembro de 2007 a abril de 2013, muita coisa mudou na Fonte Nova. O estádio que tinha a estrutura condenada e foi palco de tragédia com sete vítimas fatais, se transformou no mais novo cartão-postal da Bahia, implodido e reconstruído para receber três jogos da Copa das Confederações em junho de 2013, e seis da Copa do Mundo, em junho de 2014.

As obras da agora Arena Fonte Nova custaram R$ 591,7 milhões, viabilizados por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP), e vinham sendo realizadas desde agosto de 2010. No momento, para se consolidar como o terceiro palco inaugurado para a Copa, ainda são realizados os últimos ajustes, como retoques na pintura, na decoração, testes hidráulicos e de energia.

O primeiro grande teste será neste domingo, quando a bola rolar para o clássico Bahia e Vitória, e o segundo, o outro Ba-Vi, de 24 de abril, oficialmente escolhido como teste da Fifa para a Copa das Confederações. O governo baiano espera passar sem sustos pelos dois testes, provando à Fifa que a arena está pronta para a Copa das Confederações. Nigéria e Uruguai fazem o primeiro jogo da competição em Salvador, no dia 20 de junho.

Mandante nesta partida, o Bahia terá direito a 58% do estádio dedicado à sua torcida; a do Vitória fica com os 42% restantes. No dia 24, quando o clássico for reeditado no mesmo local, as proporções se invertem.
A Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur) explicou, em material enviado ao Portal 2014, que as Obras de Microacessibilidade incluem dois viadutos e vias de escoamento de tráfego que fazem a ligação direta do centro histórico com o estacionamento da arena.

As Rotas de Pedestres, por sua vez, visam a requalificar quase 10 km de calçadas, com a divisão em duas faixas de uso: passeio e faixas de serviço. As calçadas revitalizadas estão no caminho da Fonte Nova para quem vem da estação Brotas do metrô ou da região portuária, entre outros locais.

Fonte: Tribuna da Bahia