Esporte News

Bahia estraga festa e vence o Ceará

Foi uma noite histórica para o futebol brasileiro, em especial ao cearense. Lá, em Fortaleza, o Castelão foi o primeiro estádio da Copa do Mundo de 2014 a ser inaugurado. O que o Bahia tinha com isso? Nada. Não foi à toa que o tricolor baiano estragou a festa do Ceará, venceu o jogo por 1 a 0 e se isolou na liderança do grupo A.
 
Com gol do pentacampeão Kléberson, o esquadrão chegou aos sete pontos e, na próxima rodada, encara de novo o Ceará. Desta vez, o encontro entre baianos e cearense acontecerá em Pituaçu, quinta-feira (31), às 21h15.
 
Jorginho surpreendeu. Além de Souza, poupado pela comissão técnica, Magno e Anderson Talisca foram sacados do time. Espaço para o retorno de Zé Roberto e a estreia de Ryder no time profissional, como titular. A nova formação do tricolor, mesmo sem o homem de referência no ataque, deu ao time mais posse de bola. O esquadrão tocou bem a bola, teve mais volume de jogo, mas com pouca objetividade. O Ceará, entretanto, colaborou e muito para o fraco primeiro tempo. O goleiro Marcelo Lomba não teve trabalho.

O Bahia cresceu e marcou. Aos 30, Zé Roberto puxou o contra-ataque e lançou Jéferson. O meia viu Ryder na área e cruzou. O jovem atacante teve tudo para marcar, mas furou e desperdiçou uma grande chance. Dois minutos depois, após boa defesa de Fernando Henrique, o volante Kléberson pegou em cheio na bola e mandou para o fundo do gol, balançando as redes do novo Castelão pela primeira vez. Bahia 1 a 0. 

Ceará tenta reação
 
O lance botou fogo no encontro. Aos 38, o lateral-esquerdo Vicente arriscou de fora e acertou o travessão de Marcelo Lomba. Pareceu replay. Aos 40, Ricardinho repetiu a dose e mandou uma bomba no travessão, pela segunda vez. O esquadrão, apesar dos sustos, quase chegou ao segundo gol. Aos 45, Ryder aproveitou o cruzamento e testou firme para linda defesa de Fernando Henrique. Na sobra, a bola pegou no travessão e depois o zagueiro Rafael Vaz aliviou o perigo.

Segunda etapa

O Ceará, em desvantagem no placar, voltou para o segundo tempo com outro espírito. Mais ofensivo, o Vozão colocou o Bahia um pouco mais atrás e melhorou. O time baiano, à espera do contra-ataque, errava muitos passes e isso não era bom. Por diversas vezes, o time cearense teve espaço, mas as finalizações deixaram a desejar. Do outro lado, quando tinha a posse de bola, o esquadrão não conseguiu fazer uma troca de passes. Ou seja, Zé Roberto e Ryder tiveram atuações apagadas, ao contrário do que aconteceu nos 45 minutos iniciais.

Aos 23 minutos, o meia Anderson Talisca cobrou falta, com muita categoria, e o goleiro Fernando Henrique defendeu. Dez minutos depois, após cruzamento, o experiente Magno Alves testou com estilo e quase empata. Marcelo Lomba ficou parado e só torceu para bola sair. O Bahia atacou com perigo aos 36. Anderson Talisca cobrou escanteio fechado e quase marcou olímpico. Fernando Henrique defendeu e, no rebote, Ítalo Melo isolou.
 
Por: Bahia Notícias