Esporte News

Ordem é derrubar o líder

Com 23 pontos ganhos e em 15º lugar, o Bahia ainda está muito próximo das últimas colocações da Série A do Campeonato Brasileiro, e somente fazendo o dever de casa, vencer o atual líder da Série A, seu adversário, o Atlético Mineiro, nesta quarta-feira, às 19h30, no Estádio do Parque Metropolitano de Pituaçu, o tricolor baiano pode comemorar a reação do time a partir da chegada do técnico Jorginho.
Para esta difícil missão, vencer o Atlético Mineiro, que em 20 rodadas perdeu apenas dois jogos, um deles, domingo passado para o Corinthians, em São Paulo, o time do técnico Jorginho vai precisar de ajuda, do reforço da fiel torcida tricolor.
A expectativa é de casa cheia, com público superior ao de domingo passado, com quase 26 mil pagantes nas arquibancadas do Estádio de Pituaçu, para outra bonita festa do futebol baiano. Este ano o Bahia não conseguiu dar “tilt”, lotar, casa cheia, em seus jogos no Estádio do Parque de Pituaçu.
Mas a motivação é muito grande, e todos acreditam que a pressão da torcida neste jogo contra o time atleticano vai voltar a acender o “Caldeirão do PituAço” para empurrar o time do treinador Jorginho ao 3º triunfo consecutivo na Série A do Brasileiro.
Nos últimos 10 anos, Bahia e Atlético-MG se enfrentaram cinco vezes, com três vitórias mineiras, além de dois empates. Um deles foi no primeiro turno do Brasileirão deste ano, quando as equipes ficaram no 1 a 1 na Arena Independência, em Belo Horizonte.
Em 2011, o time mineiro fez 2 a 0 no Bahia e empatou em 1 a 1 em Salvador. E, em 2003, vitórias de 4 a 2, na capital baiana, e 1 a 0, em Minas Gerais.
Considerado todo o período do Brasileirão, o Galo Mineiro também leva vantagem em outra análise. Até mesmo os jogos em Salvador tiveram os mineiros como mais vitoriosos.
De 16 jogos, foram seis vitórias do Atlético-MG, cinco do Bahia e cinco empates. Só que neste jogo de hoje à noite os ventos estão soprando para o tricolor baiano.
Além de estar a três jogos sem vencer, o adversário mineiro chegou a Salvador sem alguns dos seus principais jogadores, como o zagueiro Rever (que está na Seleção Brasileira para os amistosos contra Àfrica do Sul e China), o meia-atacante Ronaldinho Gaúcho (suspenso pelo terceiro cartão amarelo), Danilinho (que virou dúvida de última hora) e atacante Jô (sentiu a coxa e ficará de fora do jogo).
Por tudo isso, o clima é de puro otimismo no Centro de Treinamento do Fazendão. O Bahia “pegou gás”, como disse o artilheiro Souza, o “Caveirão”, que está motivado e vai querer comemorar seu gol com casa cheia, em Pituaçu.
Fonte: Tribuna da Bahia