Esporte News

Vitória venceu mais uma fora

Mesmo atuando com um jogador a mais, desde os 23 min do primeiro tempo, quando o goleiro adversário Deola foi expulso, o América-MG cedeu a virada ao Vitória, que venceu por 2 a 1, neste sábado, no Independência. Dessa forma, o time americano, que estreou o técnico Milagres, chegou aos cinco jogos sem triunfo e vê o G4 ficar mais distante. A equipe baiana, por sua vez, voltou a ganhar depois de dois jogos e disputa a liderança da competição.

Após perder para o ASA, em Arapiraca, há uma semana, o América demitiu Givanildo Oliveira e recorreu ao ex-goleiro Milagres, que era o treinador do time de juniores, para assumir o comando da equipe. Mas a troca de técnico não foi suficiente para levar a equipa e reencontrar o caminho dos triunfos. Foi a segunda derrota seguida como mandante sem vitória, mostrando queda de rendimento de um time que nos seus cinco primeiros jogos no Independência teve 100% de aproveitamento.

Já o Vitória, que teve de superar a expulsão do goleiro Deola ainda no primeiro tempo, voltou a mostrar que é um visitante indigesto. Em seu nono jogo nessa condição, o time baiano perdeu apenas duas vezes, ganhando seis compromissos e empatando um, o que significa 19 pontos em 27 (desempenho de 70%). O time de Paulo César Carpegiani soma 35 pontos, contra 26 do América-MG.

O primeiro tempo começou equilibrado, embora o América tomasse mais a iniciativa do jogo. Em contra-ataques, o Vitória chegava com perigo ao gol defendido pelo goleiro Neneca. A partida, no entanto, era muito truncada, com discussões entre os jogadores e muitas reclamações contra o árbitro Antonio Schneider, especialmente por parte do time visitante.

E o Vitória reclamou ainda mais. Aos 23 min, o América fez o seu gol, por meio de Alessandro, após cruzamento feito por Leandro Ferreira. Os jogadores do time baiano cercaram o árbitro, protestando e pedindo a marcação de falta do atacante americano sobre o zagueiro Gabriel Paulista, antes de colocar a bola nas redes. O juiz confirmou o gol e expulsou o goleiro Deola, por reclamação, mostrando o vermelho diretamente.

“Todo mundo viu que foi falta sobre o Gabriel. Fui cobrar a marcação da falta e ele (árbitro) disse que eu o agredi. Nem cheguei perto dele, estava com os braços para trás, não falei nem palavrão”, afirmou Deola, em entrevista à Rádio Itatiaia, quando deixava o gramado. O goleiro reserva Douglas entrou no lugar do camisa 10 Willie.

Com um jogador a mais e em vantagem no placar, o América-MG errou e permitiu o empate ao Vitória, aos 32 min, em gol marcado por Pedro Ken, após cruzamento do ex-lateral esquerdo americano Gilson. E, se não fosse grande defesa de Neneca, no minuto seguinte, o time baiano teria virado. O estreante William avançou com a bola dominada, driblou o zagueiro Gabriel e chutou forte, mas o goleiro alviverde fez difícil intervenção.

A confusão não ficou restrita ao gramado. No final da etapa inicial, o médico do Vitória Bruno Argolo foi expulso do banco, mas demorou a acatar a determinação da arbitragem, gerando muita discussão e a interrupção da partida. Após reclamar muito, ele saiu e a partida foi reiniciada, mas o primeiro tempo terminou mesmo empatado em 1 a 1.

“Saímos no lucro, estávamos perdendo e ficamos com um jogador a menos”, reconheceu Pedro Ken, do Vitória, que, no entanto, considerou seu time superior ao adversário em toda etapa inicial. Alessandro, autor do gol americano, negou que tenha feito falta no lance ou mesmo ajeitado a bola com o braço. “Foi com o peito”, destacou.

O América-MG voltou sem Dudu, substituído por Pará, para o segundo tempo, modificação feita por questões médicas. O Vitória retornou com os mesmos 10 jogadores que terminaram a primeira etapa. E a partida recomeçou com o time da casa tentando tomar a iniciativa e a equipe visitante fechada, na expectativa de encaixar um contra-ataque.

Essa foi a característica de quase toda a etapa final, o América tentando atacar, mesmo sem muita inspiração de seus jogadores ofensivos, enquanto o Vitória tentava garantir a igualdade e, em caso de erro do adversário, tentar o gol da virada. Apesar de pressionar, o time americano se ressentiu, mais uma vez, da ausência do meia Rodriguinho e voltou a mostrar fragilidade ofensiva. Para piorar, a defesa falhou e, aos 40 min, Marcelo Nicácio fez o gol do triunfo baiano.


AMÉRICA-MG 1 X 2 VITÓRIA

América-MG
Neneca; Boiadeiro, Gabriel, Vinicius Simon e Bryan; Dudu (Pará), Leandro Ferreira, Thiaguinho e Thiago Humberto (Fábio Júnior); Rodrigo Pimpão e Alessandro
Técnico: Milagres

Vitória
Deola; Carlinhos (Rodrigo Costa), Gabriel Paulista, Victor Ramos e Gilson; Rodrigo Mancha, Michel, Pedro Ken e Leílson; Willie (Douglas) e William (Marcelo Nicácio)
Técnico: Paulo César Carpegiani
Data: 11/8/2012 (sábado)
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Antonio Frederico de Carvalho Schneider
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Jackson Massarra dos Santos
Cartões amarelos: Victor Ramos (V), Leílson (V), Leandro Ferreira (A)
Cartões vermelhos: Deola (V)
Gols: Alessandro, aos 23 min, Pedro Ken, aos 32 min do primeiro tempo; Marcelo Nicácio, aos 40 min do segundo tempo

Fonte: Uol Esportes