Esporte News

Vitória foi para o Rio com clima tenso

Uma das máximas do futebol baiano: “Tem coisas que só acontecem no Vitória”. E não foi por falta de aviso. Após o Ba-Vi de domingo, foi destaque na mídia do Brasil os desentendimentos, ameaças e palavrões entre os jogadores do rubro-negro dentro de campo, no primeiro tempo do clássico no Barradão. 

Ontem, antes dos trabalhos para a definição do time que joga contra o Botafogo, o grupo teve que se reunir no CT da Toca do Leão para “lavar a roupa suja”, definir regras, impor normas de conduta, para abafar a crise de relacionamento no time, às vésperas dos jogos contra o Botafogo, hoje à noite, no Engenhão, no Rio de Janeiro, e Bahia, domingo em Pituaçu.

O técnico Ricardo Silva bem que tentou resolver o problema no intervalo do Ba-Vi, quando deu uma “ordem unida” nos jogadores, e não teve receio de abordar o problema na coletiva com a imprensa, após o clássico.

Mas os desentendimentos entre Rodrigo e Pedro Ken, com troca de palavrões, de Victor Ramos e Wellington Saci, com ameaça de agressão em pleno Ba-Vi, e do goleiro Douglas com o zagueiro Rodrigo Costa, estavam apenas revelando que o clima é tenso e instável entre os jogadores do Vitória. Se houve ou não a necessária interferência dos dirigentes do clube para impor ordem na casa, tirando das costas do treinador um problema disciplinar que não é seu, ninguém sabe.

Mas Neto Baiano, que no final do jogo já tinha feito queixas da falta de companheirismo do time, resolver abrir a boca e criticar diretamente o atacante Tartá, que respondeu, pela imprensa, de imediato.

A única saída foi reunir o grupo e resolver as divergências, as diferenças, dentro de casa, e dar um conselho a Neto Baiano: “fecha a boca”, disse o capitão do time Uellinton, com o objetivo de resguardar o jogador para a decisão do título contra o Bahia, mas admitindo que o time tem que jogar sim, em função dos gols do artilheiro.
“Todo o grupo falou, disseram o que tinha de dizer. Mas artilheiro vive de gols, e quando Neto reclama, temos que entender ele, e ajudar a fazer os gols”.
Depois da reunião, com um treino leve, o Vitória encerrou a preparação para enfrentar o Botafogo, às 19h30 desta quarta-feira, no Estádio Olímpico João Havelange, no Rio. Ricardo Silva preferiu não forçar muito os jogadores por conta do desgaste no clássico Ba-Vi.
Fonte; Tribuna da Bahia