Esporte News

Bahia joga 11 anos de tabu

Melhor campanha, melhor ataque do campeonato e do Brasil, líder absoluto e disparado da fase de classificação. Nada disso terá valor para o Bahia no jogo de amanhã à tarde, contra o Vitória da Conquista, no Estádio Governador Roberto Santos, em Pituaçu, se o time do técnico Paulo Roberto Falcão não conseguir marcar, pelo menos um gol.


O jogo é válido pelas semifinais do Campeonato Baiano, e na primeira partida entre os dois times, o Vitória da Conquista venceu por 1 a 0, no Estádio Lomanto Júnior, revertendo a vantagem do empate. Para garantir a vaga para a decisão do Baiano, e manter vivo o sonho do título Estadual de 2013, o Bahia tem obrigação de vencer, por qualquer diferença de gols.


São 11 anos de tabu, um longo tempo sem a conquista do título do Baiano, e o time que tem o melhor ataque do Brasil, marcou 52 gols em 23 jogos pelo Estadual, vem de dois jogos consecutivos sem a marcação de gols. Na derrota de 1 a 0 para o Vitória da Conquista, e o empate de 0 a 0 com a Portuguesa de Desportos, pela Copa do Brasil.

É pressão acima do limite para o técnico Paulo Roberto Falcão e seus jogadores, numa partida em que a torcida tricolor deve lotar as arquibancadas de Pituaçu. Por tudo isso, o jogo válido pelas semifinais, ganhou características de decisão de título, com direito do técnico Falcão fechar às portas do Fazendão e fazer mistério sobre a escalação do time que começa jogando.

"Sem dúvida de que esse é o jogo mais importante do ano, até aqui, né, porque nós temos que ganhar para ir para a final.


E estamos encarando assim, temos que só ganhar. Mas, para isso, temos que ter aquela consistência e estou muito entusiasmado com o trabalho que fizemos", admitiu o treinador tricolor na conversa com a imprensa no CT do Fazendão, procurando passar estabilidade no grupo para esta “decisão de título”. Falcão voltou a ressaltar a importância da torcida em Pituaçu, mas admitiu que seu time, dentro de campo, terá que fazer a sua parte.

"A torcida é fundamental sempre quando ela ajuda, mas eu digo sempre, diferentemente de outras pessoas, que quem faz a torcida é o time dentro de campo.

Lógico que, em alguns momentos, sim, a torcida ajuda a levantar um time em dificuldade, mas, dentro da média, é o jogador que faz isso".

Torcida confia nos gols do “Caveirão” amanhã



Independente do treino secreto orientado pelo técnico Falcão ontem à tarde no CT do Fazendão é certa a volta de Souza ao comando de ataque do Bahia neste jogo de amanhã, contra o Vitória da Conquista. A presença do “Caveirão”, principal artilheiro do time tricolor com 19 gols, em 13 jogos disputados, é a maior esperança da torcida para a classificação para a decisão do título do Campeonato Baiano.

 
Na última conversa com a imprensa, programada pela assessoria do tricolor para quinta-feira, Souza, que não joga desde o final de março, período equivalente a oito jogos, sendo dois pela Copa do Brasil contra Remo e Portuguesa de Desportos, admitiu que está clinicamente recuperado da contusão que lhe afastou da equipe, mas admitiu também que não volta com força total, mas que sente falta de ouvir a torcida gritar meu nome e até de concentrar com o time".

"Ainda não estou 100% e preciso de ritmo de jogo, mas estou com muita vontade de jogar. Se o treinador me escalar, realmente me colocar, vou buscar fazer o máximo dentro de campo. Tenho consciência de que vai ser difícil domingo, pois o Conquista vai se defender o tempo todo. Só que acredito que, se jogarmos como no início do Campeonato Baiano, vamos sair de campo com a classificação", disse o artilheiro tricolor.

Souza não quis creditar à sua ausência a queda de produção do time do Bahia nas últimas partidas. Mas admitiu que saiu no seu melhor momento desde que chegou para o tricolor, e que o apoio da torcida é fundamental.

“Tudo bem que eu estava vivendo um momento muito bom, mas o Bahia tem outros jogadores de qualidade.


Infelizmente, existem jogos que as coisas não acontecem como a gente quer. Venho de bastante tempo parado, quase um mês, mas a vontade também é grande de voltar a ajudar meus companheiros. A gente precisa da torcida no domingo para que a gente possa ir para a final".



Fonte: Tribuna da Bahia