Esporte News

ABC vai no ritmo de Makelelê

ABC aposta em um baiano para conseguir a vaga na próxima fase
O resultado dos confrontos recentes entre Vitória x ABC - três empates - mostram o tamanho do equilíbrio que existirá na partida dessa noite (21h50), no estádio Barradão e que vai definir o futuro dos clubes na atual edição da Copa do Brasil. Como jogar na Bahia requer muito mais que o esforço dentro de campo. Para enfrentar o poder dos Orixás rubro-negros, o ABC vai lançar mão de Makelelê, um autêntico soteropolitano, nascido no mês do carnaval e que teve o empréstimo ao Linense abreviado, justamente para poder estar disponível nesta partida, onde irá atuar no lugar de Jérson.

O empate sem gols favorece ao time baiano que em Natal ficou no 1 a 1 e estaria classificado para próxima fase por ter marcado maior número de gols na casa do adversário. Ao ABC resta ganhar ou até empatar por placar superior a um gols. A repetição do resultado do primeiro confronto levará a decisão para os pênaltis.

A situação dos potiguares não é confortável e o time baiano vai entrar em campo como favorito a conquista da vaga. Mas o estreante da noite tem no currículo algumas conquistas tidas como muito difíceis antes de a bola rolar. Makelelê fez parte daquele grupo do Santo André que bateu o Flamengo, no Maracanã, e foi campeão da Copa do Brasil, em 2004.

Makelelê recebeu esse apelido quando atuava pelo Santo André. A alcunha foi criada por Dedimar, seu colega de clube, com a intenção de compará-lo fisicamente ao jogador francês Claude Makélélé. O apelido não levou em conta apenas a aparência física, foi colocado também pela raça e doação mostrada pelo atleta em campo.

O treinador Leandro Campos não esconde de ninguém que quer ver o ABC praticando o futebol objetivo e de resultado, ressaltando que no futebol o que vale mesmo no final é a conquista dos três pontos e a consequente passagem de fase. "Não me interessa jogar bem, o que me interessa é o resultado final. É o resultado final que vai determinar se  nós vamos passar ou não para a outra fase", afirmou.

Nesta partida específica, o comandante abecedista chama a atenção para uma característica que pesa contra a equipe. "Lembrem que ano passado o ABC foi uma das equipes que mais venceu fora, mas ano passado nós tínhamos jogadores de velocidade e hoje nós não temos jogadores velozes e isso cria dificuldades para jogar no erro do adversário. Temos que buscar alternativas, como adiantar um pouco mais a marcação", frisou.

O fato de não ter conquistado um resultado positivo em Natal aumenta a responsabilidade do grupo, na Visão de Campos: "É um jogo onde teremos que marcar bem e sair com velocidade e tudo cria uma expectativa já que sabemos que não podemos tomar o gol e ao mesmo tempo temos que fazer".

Fonte: Tribuna de Natal