Esporte News

É problema que não acaba mais

O zagueiro Victor Ramos, ainda suspenso pelo TJD da FBF, ficou de fora do time por mais duas rodadas; o outro zagueiro, Gabriel Paulista, com lesão muscular, só volta a jogar dentro de 20 dias; e o lateral-direito Nino Paraíba, operado do púbis, está fora da disputa do Campeonato Baiano deste ano.

É com esta base de problemas, aliados a suspensões por cartões amarelos e problemas pessoais, como o caso do atacante Marquinhos, que o Vitória chega na reta final da fase de classificação do Estadual, lutando para garantir sua condição de vice-líder no G-4 para a disputa da 2ª fase, as semifinais.

Dentro da maior boa vontade do mundo, não há como reconhecer que o Vitória é um feixe de problemas, dentro e fora de campo, e que nem o próprio presidente Alexi Portela Júnior parece ter condições de resolver, e dentro de campo, com o técnico Toninho Cerezo literalmente sem saber dar um padrão tático à equipe, e muito menos uma base de 11 titulares, em consequência do alto índice de indisciplina do grupo – cinco expulsões no Baiano – que lhe obriga a montar uma nova equipe a cada rodada da competição.
O presidente Alexi Portela Júnior tem o gestor de Futebol, Raimundo Queiroz, para administrar e resolver os problemas, mas ele mesmo decidiu ir esta semana ao CT da Toca do Leão para uma conversa de “pé de ouvido” com o atacante Marquinhos para recolocar o jogador nos trilhos e à disposição do técnico Toninho Cerezo, já que ele não aceitou acompanhar a delegação porque ficaria como opção no banco de reservas.
É claro que os jogadores estão sentindo os efeitos do clima pesado no CT da Toca do Leão, e concordam que é o momento de uma tomada de posição. “Acho que assim como estávamos era uma sequência boa, mas tivemos dois jogos que não foram tão bons e resultou neste clima”, disse o meia Pedro Ken, que jogou fora da sua posição no empate de 1 a 1 com o Fluminense.
Outro jogador que não está satisfeito com sua condição no clube é o goleiro Douglas, que perdeu a posição para Renan sem maiores explicações de Cerezo, embora se especule no CT da Toca do Leão que o atual titular tem parte dos seus salários paga pelo Corinthians, que emprestou o jogador ao Vitória com a condição dele ser titular por causa dos jogos Olímpicos de Londres, onde ele era um dos cotados para a seleção de Mano Menezes. Mas nem entrou na relação dos 52.
Por: Tribunadabahia